Adaptação – A chave do sucesso para o seu intercâmbio High School

O aluno quando embarca para cursar o ensino médio no exterior, não apenas troca de escola ou de país, ele muda completamente a vida!

As mudanças pelas quais o estudante passa durante o programa High School são muito grandes, afinal o aluno chega ao programa ainda não tendo a fluência do idioma, nem conhece nenhuma das pessoas com quem vai ter contato pelos próximos meses, provavelmente nunca comeu a comida que vai fazer parte do seu cardápio diário e tão pouco está acostumado com o dia-dia da comunidade a qual ele fará parte, portanto, sua adaptação é o principal fator para seu crescimento durante o programa.

A não dependência dos pais para a tomada de todas as suas decisões, o desvinculo que terá com os amigos e com o corpo docente de sua escola brasileira vai ser inicialmente um choque, mas esta quebra de paradigmas é fundamental para que uma nova pessoa ganhe vida, amadurecimento é a palavra-chave.

Antes de embarcar, o aluno e seus familiares devem se preparar para esta etapa. Sabemos que os pais devem se fazer presentes, mas existe limites agora, para não atrapalhar o caminhar do programa, sua independência, amadurecimento e principalmente sua vivência com a nova família, que possui novas regras. Em países do exterior é extremamente comum que todos os membros da família, sem exceções, tenham suas responsabilidades e tarefas diárias. Basicamente o filho responderá a seus novos pais e terá responsabilidades por lá. Muitos intercambiários jamais haviam lavado suas roupas aqui no Brasil e esta tarefa começou a fazer parte da sua vida em seu intercâmbio, como também outras responsabilidades da casa.

A mãe do intercambiário Pedro Rohrer, Paula no conta como é importante a participação e apoio dos pais nesta jornada e o quanto é gratificante receber o filho bem mais maduro e preparado após o término do programa.

Outro detalhe fundamental para o sucesso no programa é o quanto o intercambiário se envolve nas atividades do colégio e da comunidade em que vive. Normalmente o estudante vem do Brasil com uma agenda repleta de atividades que completam a sua semana e quando chega no exterior o mesmo tem que completar a sua nova agenda, envolver-se com esportes, atividades locais, novas amizades e viver a vida com a família.  Confira abaixo o depoimento do Pedro Rohrer que cursou o Ensino Médio no Canadá e veja como ele fez para se adaptar e se destacar na cidade onde morou.

Inscreva-se agora mesmo no programa, acesse: http://bit.ly/depoimento-aluno-hsl

 

 

 

Compartilhe:
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *