O que a Irlanda guarda de tão especial – 3

O povo de cabelos ruivos esbanja simpatia e simplicidade; adora conversar, dançar e apreciar uma boa cerveja. E cultiva o rito dos pubs, considerados o centro da vida social dos irlandeses. E a diversidade de pubs é imensa, desde tradicionais da cultura celta até batidas de música eletrônicas, tornando a vida noturna eclética e repleta de opções, atendendo a todos os tipos de público.

O país de gente hospitaleira cultiva sua tradição e cultura através das músicas e danças. Na música, além do forte legado celta, é possível apreciar apresentações dos artistas de rua constantemente. Ao caminhar pelas principais avenidas de Dublin, a quantidade de músicos tocando seus instrumentos é impressionante e fascinante. Já a dança irlandesa, vista como a “mãe” do sapateado americano, é caracterizada por seus movimentos rígidos, rápidos e complexos e tem sido disseminada nos quatros cantos do mundo através do famoso grupo Riverdance e seus espetáculos de coreografia.

Outra forte peculiaridade da nação irlandesa é o fato de serem muito nacionalistas. Têm como símbolo de heroísmo, o líder político Charles Stewart Parnell (1846-1891), que foi um membro do Partido Parlamentar Irlandês, que lutou pela causa da libertação da Irlanda do domínio britânico. O nome do nacionalista dá nome a uma das principais avenidas da capital Dublin, Parnell Street.

Grande parte da marca sofrida por esse povo decorrente do domínio inglês se dá pela diáspora vivida na segunda metade da década de 1840, quando a Grã-Bretanha tinha a posse das terras da ilha e um terrível fungo atacou as plantações de batatas, provocando um dos maiores surtos de fome já visto na história mundial. Na Irlanda, a sobrevivência estava intimamente ligada ao tubérculo que era a principal fonte de  economia da época. Em geral, estima-se que 1 milhão de pessoas morreram de fome e de doenças. O desempenho das autoridades inglesas na época corroboraram para que durante anos, os irlandeses lutassem para se livrar do domínio e fizeram com que eclodissem diversas revoltas até a conquista da independência em 1921. Atualmente a Irlanda é uma república constitucional governada como uma democracia parlamentar, com chefe de estado (com poder de governo) que é um presidente eleito pelo povo e empossado pelo parlamento, por tempo determinado.

Compartilhe:
  •  
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *