Acabou de passar a época dos vestibulares. Muita gente estará ingressando nas Universidades a partir de 2014 – mas tem gente também que ainda está na dúvida e não decidiu o que fazer.

Entrar na faculdade cedo, logo após o término do Ensino Médio, com 18 anos ou menos, é um hábito cultural do brasileiro. A concorrência do mercado de trabalho e a ansiedade por uma boa colocação faz com que os jovens se vejam obrigados a se inserir cedo demais em ambientes acadêmicos – mas isso sem que tenham nada que os diferencie dos demais.

Por isso, talvez uma ótima ideia seja atrasar a entrada na Universidade, em seis meses ou um ano, para poder viver uma experiência no exterior. Além de consolidar outro idioma, o jovem ampliará sua visão de mundo, sua independência, sua flexibilidade e adaptabilidade, maturidade e inteligência para lidar com novas situações, e poderá voltar muito mais preparado para escolher melhor uma profissão para seguir.

O jovem que vai para um programa de High School depois de formado no Ensino Médio poderá estar mais livre na escolha das matérias, sem a preocupação de voltar depois e precisar “adequar” os estudos de volta para a grade brasileira. Além disso, pode tornar sua experiência ainda melhor, pois vai unicamente pela vivência. A convivência em uma escola estrangeira e com uma nova família contribuirá para o desenvolvimento do estudante. Quando retorna, terá opiniões próprias, e será diferenciado como pessoa e também como profissional. Para o mercado de trabalho, uma experiência internacional é um grande diferencial: as chances de se conseguir melhores estágios, melhores contratações também são maiores, e isso pode ser o ponto chave para fazer a diferença para uma carreira de sucesso.

A BIL leva você: www.bil.com.br

Compartilhe:
  •  
  •  
Compartilhe: