High School: Troca de família

Tempo de Leitura: 2 minutos

Dúvidas e questões sobre os mais diversos assuntos são comuns no período que antecede um programa de intercâmbio, principalmente o High School. Mudar de vida, principalmente quando se é jovem, pode ser um grande desafio tanto para o estudante, quanto para a família que fica no Brasil.

Entre as dúvidas mais comuns durante esse período, estão aquelas ligadas à família estrangeira. Essa família, recebe o adolescente em sua casa por até um ano, buscando sempre a convivência e participação nas atividades diárias e da casa. Portanto, é importante que o jovem busque adaptar-se e criar uma boa relação com aqueles que farão parte tão importante de sua vida.

Porém, complicações podem aparecer no caminho, e em alguns casos, adolescentes acabam desenvolvendo o desejo de mudar de residência, e por consequência, de família. No vídeo, Thiago Tanus, diretor de marketing da BIL Intercâmbios, orienta as famílias a diferenciar problemas de dificuldades, para que assim haja uma clareza maior quanto a troca de família durante o High School.

Há uma grande diferença tratando-se de problemas e dificuldades. Essa diferença é fundamental para que a empresa do exterior julgue a necessidade da troca de família.

Problema é toda a situação que envolva polícia, drogas, doenças, risco de vida ou o desrespeito e quebra de alguma regra por parte da própria família estrangeira. Nesse caso, a agência do exterior considera a mudança de residência do adolescente necessária. Já dificuldades, caracterizam-se por desentendimentos no relacionamento entre o jovem e algum membro da família, saudade do país de origem, dificuldade com adaptação alimentar, etc.

Nesses casos, é preciso entender que as dificuldades são esperadas ao longo da viagem. Adaptação não é algo fácil, e dificuldades no dia a dia e na convivência com pessoas tão diferentes podem acontecer e são totalmente comuns e compreensíveis.

Sair da Zona de conforto é fundamental! A adaptação às diferenças culturais fazem parte do programa e não são razão para uma troca mais confortável.

É dever do jovem e da família de origem conscientizar-se de que o amadurecimento acontece através da resolução de dificuldades e da adaptação nas mais diversas circunstâncias. Nada se compara a nossa própria casa, nosso país de origem e nossa família, mas isso deve ser encarado pelo estudante como algo bom e construtivo.

Portanto, a troca de família existe, mas deve ser requerida em casos de problemas, e não dificuldades!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado

Comece a escrever e aperte enter para buscar